< voltar para o Blog

Quando internalizar a contabilidade da empresa?

Em busca de mais otimização nas operações e oportunidades de ganho, empresários querem uma contabilidade em sintonia com o negócio. Existe um momento certo para trazer o profissional contábil para dentro de casa? É o que iremos abordar neste artigo.

De coadjuvante ao papel principal

Já vimos que a contabilidade deixou de ser apenas um departamento que cumpre com as obrigações acessórias e que seus relatórios podem trazer dados relevantes para tomadas de decisão.

E, para que os serviços sejam otimizados, os avanços tecnológicos precisam ser bem aproveitados, pois permitem que o profissional contábil tenha mais tempo para dedicar ao negócio da empresa.

Os fatores elencados acima estão ligados também ao talento individual do profissional, que bem capacitado e direcionado ao negócio pode atuar estrategicamente para a corporação.

Ocorre que um trabalho estratégico exige uma atenção voltada à área de atividade da organização. Pois conhecendo as particularidades do negócio no qual está inserido, o contador busca mais informações sobre legislação e regras desse ramo que possam trazer benefícios fiscais/tributários à empresa e, ainda, desenvolver estratégias que diminuam riscos (passivos tributários) e aumentem a lucratividade da corporação.

Questão de oportunidade

A decisão pela internalização da contabilidade está, geralmente, relacionada à necessidade de expansão dos negócios de uma empresa.

O gestor, em busca de mais resultados, busca um parceiro estratégico para os negócios, pois entende como primordial a excelência na gestão das informações.

Neste momento, percebe que os processos empresariais precisam estar voltados à contabilidade, por isso a internalização se torna indispensável.


Sintonia para obter resultados

Comprar mais estoque, investir, aumentar a capacidade de produção: como isso tudo pode ser mensurado pela contabilidade?

Quanto crédito tributário pode ser gerado para a empresa no caso de um novo investimento ou uma compra de estoque?

Essas são questões extremamente estratégicas e estão diretamente ligadas à atividade da empresa, ou seja, é preciso mais que um serviço contábil tradicional para respondê-las.

É necessário um especialista, que esteja dentro de casa diariamente olhando para o negócio e que analise, em tempo real, as informações que envolvam a tomada de decisão. Em outras palavras: um profissional contábil em sintonia com o negócio da empresa!

 

Vantagens da internalização

Ter um profissional contábil dentro da organização não significa que a empresa deixará de terceirizar o serviço, o que implicaria em custo mais alto com contratação de pessoal.

Hoje, assim como o BPO - Business Process Outsourcing, que é a contabilidade externa à empresa, o BPI - Business Process Insource permite que o gestor tenha ainda mais foco no seu negócio.

De que forma?

Nessa metodologia são implantados de forma interna os departamentos contábil, fiscal, pessoal, financeiro e controladoria. As rotinas específicas são formatadas de acordo com a necessidade do negócio.

Dentro da empresa, todos os envolvidos com os novos procedimentos são treinados para auxiliar no processo de gestão das informações necessárias ao setor contábil. Dessa forma, oferece relevantes dados e informações entregues sob a forma de relatórios societários, que atendam aos critérios contábeis, além de relatórios gerenciais que também podem ser convertidos para outros padrões desejados.

Em resumo, os benefícios da internalização envolvem melhoria de fluxo documental, automatização e organização de processos e informações mais fidedignas.

E mais, contribuem para uma contabilidade personalizada e mais ágil, pois a velocidade e a qualidade no processamento dos dados possibilitam aos gestores maior foco na tomada de decisões e gestão do negócio.

Confira os demais temas abordados na Semana da Contabilidade:

Os números não erram! Sua gestão é baseada na contabilidade?

Transformação digital: conheça ferramentas e softwares desenvolvidos para a gestão tributária que se tornaram imprescindíveis para ampliar a competitividade das empresas. 
Quem é o novo contador?

Como a contabilidade evita desperdício de recursos nos negócios?

 

Responsável técnico: Rogério Garcia Vieira PR-055006/O-0